Novidades

30 de dezembro de 2016

A Mulher Que Chora


O que as pessoas dizem e que o marido muito ciumento sempre suspeitou da esposa, então em um dia de Domingo em um acesso de fúria a espancou e em seguida a estrangulou violentamente


Dizem que no ano de 1980 na cidade de Morro Alto uma mulher foi encontrada morta pelo seu marido próximo a um matagal pelas autoridades. O que as pessoas dizem e que o marido muito ciumento sempre suspeitou da esposa, então em um dia de Domingo em um acesso de fúria a espancou e em seguida a estrangulou violentamente. Dizem que o choro dessa mulher no momento do espancamento foi tão alto e agonizante que os moradores mais próximos sentiram um calafrio por todo corpo e uma agonia incontrolável, porem ninguém se prontificou a ajudar pelo fato de ser algo rotineiro e a própria mulher nunca ter denunciado ( e o típico caso de “não vou me envolver em casos de família” ). Na manha seguinte o corpo da mulher foi encontrado e assim sepultado, o marido louco sumiu e nunca foi visto.  Os dias se passaram até que um dos moradores locais ao ir visitar o cemitério notou que o tumulo de Maria havia sido violado, a policia foi avisada e foi à procura do corpo, ainda procurando o louco marido da mesma que estava foragido. Em uma manha a policia fazendo uma ronda na mata encontrou uma cabana, ao adentrar depararam com uma cena forte e bizarra o corpo de Maria decomposto e o de Paulo em uma cama, estranho era que o corpo do rapaz estava fresco, como se algo o tivesse matado recentemente. Ate hoje a policia não consegue explicar este mistério. Ambos os corpos foram enterrados, as pessoas que passam próximas ao cemitério no aniversario da morte de Maria escutam seu choro vindo de dentro, muitos céticos dizem não passar demais uma lenda urbana local. Os mais crentes ate dizem que na madrugada de sua morte escutam na casa, hoje abandonada os gritos e choro da mulher e que neste momento todos que a escutam começam chorar de forma misteriosa, as lagrimas caem como se alguma coisa a provocassem. Um morador local de nome Lauro voltava de casa pela madrugada justamente no dia da morte de Maria, sua casa ficava não muito longe do local da tragédia, assim que chegou próximo ao portão de sua casa escutou um murmuro ao olhar viu uma figura pálida de branco próxima à casa do falecido casal, petrificado ficou até que esta imagem desaparecesse como em um passe de mágica. Acreditando ou não esta historia realmente aconteceu e até hoje mexe com a cabeça dos moradores locais.

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado !
Ass : Glaucow Maciel Freitas

20 de dezembro de 2016

O Ônibus 167 ( O Acidente )


Um ônibus com aproximadamente cinquenta passageiros havia tombado e caído de uma ponte de aproximadamente 72 metros, a unidade de plantão do Corpo de Bombeiros foi ate o local em imediato




Era dia 23 de Dezembro de 1993, tudo ocorria de forma tranquila no 25ºbpm, até que o sinal de alerta dos bombeiros dispara e imediatamente os acionados se posicionam e são informados de um acidente ocorrido com um ônibus de viagem da Service Com cheio de passageiros em um trecho próximo a 381 em MG. 



Um ônibus com aproximadamente cinquenta passageiros havia tombado e caído de uma ponte de aproximadamente 72 metros, a unidade de plantão do Corpo de Bombeiros foi ate o local em imediato. Chegando na localidade isolaram a área e procuraram um modo de descer para tentar resgatar os possíveis passageiros sobreviventes e os corpos dos já falecidos, o SAMU fora avisado e também estavam a caminho, após alguns minutos todos estavam no local e já desciam para o resgate, mas infelizmente o que encontravam eram pessoas já sem vida, os socorristas nitidamente tentavam conter a emoção diante de tantas perdas e tamanha tragédia. Um Tenente que largava serviço ficou sabendo do ocorrido quando ia para casa, ficou muito sentido ao saber de tanta morte, ao longo da estrada subindo o trevo que levava a sua cidade avistou de longe uma mulher que gesticulava muito, de forma desesperada parecia pedir socorro e possuía algo em um de seus braços, ao se aproximar a mulher sumiu como em um efeito de magicá, intrigado com isso Ten.Oliveira continuou seu caminho ate que novamente vê a cena se repetir, assustado ao se aproximar vê novamente a mulher desaparecer em sua frente, quando por intuição resolve ligar para os policiais companheiros de serviço que estava no local do acidente, neste instante o Tenente recebe a noticia que tinham encontrado uma mulher morta que segurava um menino em seu colo e que o menino ainda estava com vida, Oliveira então pede a descrição da mulher, ao escutar o que seu amigo diz fica chocado e percebe que a tal mulher era a mesma que pedia ajuda na estrada para poder salvar seu filho o único sobrevivente do Ônibus 167.

Se copiar colocar devidos créditos, Obrigado !


Ass : Ghostface GM

17 de dezembro de 2016

Distúrbios do Sono - "Sufocado pela Mídia"



Diferente dos outros casos que me ocorreu o que se antecedeu antes do fato não creio ter interferido em nada, foi um dia comum em minha vida e tudo estava o que podemos dizer “normal”. Eu me lembro de que adormeci e assim começou o pesadelo.

Estava em uma casa do qual não me recordava se conhecia ou não, me encontrava sentado em um sofá, quando começou o Jornal Nacional que nesta época eram apresentados por William Boner e Fatima Bernardes, não que isso tenha algo a ver com o fato. Neste exato momento eles estavam noticiando a respeito de algo como um vírus transmitido pelo ar e em certos períodos você precisava prender a respiração para não ser contaminado, o anuncio era mais ou menos assim; “Neste momento para sua segurança peço que pare de respirar em... 1,2,3 “ Eu resolvi obedecer pois afinal não queria me contaminar, o problema e que o tempo que devia ficar sem ar era muito grande, foi quando não conseguindo segurar tentei puxar o máximo de oxigênio que conseguia, porém percebi que meu ar estava cortado, eu estava sufocado e provavelmente morreria ali, sim eu disse morreria, pois percebi que aquilo ali não se tratava apenas de um pesadelo e sim de algo que estava me sufocando na realidade, eu estava na cama preso e completamente sem ar, a dor que estava em minhas vias aéreas era insuportável e foi levada até os pulmões como agulhas, de repente me pequei novamente sentado naquele sofá e os ancoras disseram “Agora você pode respirar” como um soco uma onda de oxigênio encheu meus pulmões e me senti aliviado, ainda sonhando caminhei pela casa e cheguei ate a cozinha, percebi que estava sozinho naquele lugar, caminhei ate um filtro e me servi de um copo de agua, reparei que o céu estava completamente negro, neste instante um voz veio de algum lugar “ Neste momento para sua segurança peço que pare de respirar em ... 1,2,3 “ Aquilo então começou novamente era uma verdadeira tortura, pois sabia que quando tentasse respirar não iria conseguir e foi isso mesmo que aconteceu, porém desta vez o tempo foi maior e senti que estava perdendo a consciência, a dor era tanta que meu corpo se contraia, quando vi que poderia colapsar a qualquer momento a voz veio novamente “ Agora você pode respirar “. No dia seguinte me acordei um tanto quanto assustado, me recordando deste pesadelo horrível que foi um tanto quanto real e mexeu muito com minha cabeça, uma das coisas que me lembro de era que ambos os ancoras também paravam de respirar. A realidade é que como os outros distúrbios não sei explicar de fato o que ocorreu.


Se alguma vez aconteceu algo semelhante ou teve algum distúrbio, nos conte, queremos saber sobre seus pesadelos que mais lhe perturbam.  

Se copiar colocar devidos créditos, desde já agradeço, obrigado!
Ass: Glaucow Maciel Freitas

14 de dezembro de 2016

A Dor da Culpa


Não me lembro como tudo começou, nem como vim parar aqui, minha carne queima por inteiro, ganchos dilaceram os meu braços. Chamo por socorro, mas ninguém responde, tudo esta escuro, escuto então sussurros que me fazem arrepiar, de repente escuto barulhos de corrente se arrastando, um homem encapuzado com uma mascara engraçada começa a falar comigo.



Não me lembro como tudo começou, nem como vim parar aqui, minha carne queima por inteiro, ganchos dilaceram os meu braços. Chamo por socorro, mas ninguém responde, tudo esta escuro, escuto então sussurros que me fazem arrepiar, de repente escuto barulhos de corrente se arrastando, um homem encapuzado com uma mascara engraçada começa a falar comigo. -Oi. Ele diz como se tivéssemos conversando normalmente. Sua voz e estranha, aguda demais para seu porte, ao seu lado ele traz uma mesinha com vários instrumentos cirúrgicos, até que ele volta a falar comigo. -Os olhos são os espelhos da alma, não entendi o que ele quis dizer com isso, calmamente ele puxa um bisturi começa corta o meu olho lentamente, a dor seria insuportável se neste momento não estivesse completamente anestesiado, começo a gritar de agonia e então pergunto - Por que você esta fazendo isso ? ele responde -Você sabe dos seus pecados. Neste instante lembranças invadem minha cabeça, como fui cruel com as pessoas a minha volta, principalmente com minha irmã Christine. Em um dia do mês de Agosto fui ao cinema junto de minha irmã e o seu marido Roberto, naquele dia estava deprimida por eu ter perdido o meu emprego e ao mesmo tempo ter descoberto as traições que eu passei com meu namorado Edu, enfim, estávamos no meio do filme ate Roberto se levantar e ir ao banheiro, naquele momento eu pensei se eu passei por uma traição, ela também tem que passar, ela tem tudo e eu nada, fui de encontro dele, e no banheiro nos transamos. Depois daquele dia me senti suja, não tocamos mais no acontecido, éramos como estranhos uns com os outros isso fez com que minha irmã desconfiasse, e no fim descobri-se a verdade, ela ficou deprimida, não mantivemos mais contato, depois de um ano recebi um telefonema, era a policia dizendo que havia encontrado o corpo dela e de Roberto estirados no chão de suas casas, o relatório da perícia disse que ela havia dado um tiro em Roberto e depois se matou, minha família nunca me perdoou pelo acontecido, talvez eu mereça o que esta acontecendo comigo neste instante. Naquele momento de reflexão o torturador fez o seu primeiro dialogo formal comigo. -O seu silencio deve ser o sinal de que você sabe o motivo real do seu estado. Ele me disse aquilo como se estivesse me julgando ou punindo. Respondi com dor e Medo. -Sim! Sei, por favor, não me mate. Ele voltou a falar comigo de novo. - Você acha realmente justo o que você fez a sua irmã, acha que foi fácil o que ela passou, acha que ninguém estava de olho em você e nas atrocidades que aconteceu, não irei te matar porque não sou um assassino, em vez disso irei te deixar viver com a marca e a vergonha de seus atos e lembre-se eu não estava te mutilando, torturando ou tentando lhe matar, isso que esta sentindo e sua culpa. Ele me soltou e lentamente fui adormecendo, mas antes eu escutei ele dizer. -Durma com os anjos. Acordei em um hospital, minha família estava entorno da cama, comecei a chora, pedi desculpas a todos, e eles emocionados com o meu discurso finalmente me perdoaram. Alguns dias se passaram e finalmente recebi alta do hospital, quando estava por sair do quarto, uma das enfermeiras apareceu com um ramalhete de flores direcionadas a minha pessoa, dentro delas havia um cartão que dizia. – “Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti”. MATEUS 5:29.

 Se copiar colocar devidos créditos.
Ass : Glaucow Maciel Freitass


11 de dezembro de 2016

Distúrbios do Sono - A Coisa No Meu Quarto



Este caso me aconteceu há alguns anos atrás há exatos oito anos. Foi algo tão forte e assustador que nem que se passem décadas eu irei me esquecer, provavelmente quem acompanha meu blog há mais tempo já deve ter lido a respeito em um conto que escrevi, porém com a exclusão do blog este conto ficou perdido e eis que irei relatar aqui pra vocês

Este caso me aconteceu há alguns anos atrás há exatos oito anos. Foi algo tão forte e assustador que nem que se passem décadas eu irei me esquecer, provavelmente quem acompanha meu blog há mais tempo já deve ter lido a respeito em um conto que escrevi, porém com a exclusão do blog este conto ficou perdido e eis que irei relatar aqui pra vocês.



Eu tinha acabado de voltar de um feriado de sexta feira santa, onde passei na praia com alguns amigos,  nesta época eu era católico e nesta mesma sexta-feira resolvemos ignorar um pouco nossas religiões antes mesmo de meia noite começamos a beber muito, na época pensei que este seria o motivo de tal coisa ter acontecido, porém hoje totalmente cético não associo os fatos. Era exatamente 03h00min da madrugada quando cheguei a casa, tomei um banho, comi algo e fui me deitar, foi ai que tudo começou. Eu não sabia se estava acordado ou dormindo, uma coisa era certa eu estava completamente lucido das coisas que estavam acontecendo ao meu redor, porém não conseguia me mover a não ser os olhos, algo me travava na cama como se estivesse enraizado ali, foi algo realmente assustador, eu usava de toda força mas era tudo em vão, foi quando acordei abruptamente e me coloquei sentado, estava suado e muito nervoso, fui ate a cozinha e tomei um copo de água e voltei a deitar, fiquei ali por minutos tentando entender o que estava acontecendo, quando adormeci. No outro dia ainda intrigado comentei com um amigo a respeito do ocorrido, este simplesmente começou a zombar de mim e pediu com tom de gozação pra eu procurar um psicólogo. A noite chegou e me deitei, rapidamente pequei no sono, quando novamente aquilo aconteceu, só que desta vez sentia uma presença um tanto quanto incomoda em meu quarto, meus olhos procuravam algo quando vi uma criatura parada nos pés de minha cama, esta parecia me encarar e emitia ruídos um tanto quanto assustadores, eu não conseguia me mover e não tinha a visão de seu rosto, apenas de seu corpo que não era nada humano, tinha uma pele vermelha um tanto quanto viva, aquele ser me observava e parecia estar muito satisfeito com o que via, eu tentava estava soando muito, estava completamente desesperado, foi quando resolvi usar de toda minha força e me despertei daquele pesadelo lúcido, pensei comigo “ Isso não pode ser um sonho, o que esta acontecendo comigo, isso não pode ser real, será que estou ficando maluco “ fiquei dizendo a mim mesmo isso a algumas minutos e cogitei ate mesmo a hipótese de um psicólogo nesta hora. No dia seguinte ao já de noite ao deitar a mesma coisa me ocorreu, porém desta vez senti o colchão de minha cama afundar como se alguém estivesse deitado ao meu lado, senti uma respiração em meu pescoço que me fez arrepiar por completo, senti as lagrimas saindo de meus olhos, estava completamente desesperado e assustado, alguma coisa estava deitada do meu lado, este ser emitia além de ruídos uma risada um tanto quanto agoniante, eu tentava me debater e me virar para ver a criatura, mas eu não conseguia mexer nada além de meus olhos, aquilo parecia uma eternidade, mas quando acordei pingando de suor olhei o relógio e não tinha se passado se quer um minuto. Isso me aconteceu durante uma semana inteira, essa criatura me visitava dia após dia e parecia gostar muito do que estava acontecendo. Hoje não tenho mais problemas com isso e há muito tempo não tenho mais problemas com distúrbio algum do sono, porém após isso varias coisas aconteceram e vou relatar a vocês em breve. Espero que tenham gostado e se já aconteceu algo semelhante com vocês entre em contato, queremos saber sobre suas experiências com distúrbios do sono. Obrigado e abraço e um beijo a todos. 

Se copiar coloque devidos créditos, obrigado.
Ass: Glaucow Maciel Freitas

10 de dezembro de 2016

A Garota Fantasma (Curtinhas do Final de Semana)

Era madrugada quando voltava da casa de minha namorada, eu morava a poucos quarteirões de sua casa e tinha o costume de ir caminhando. Ao passar próximo ao cemitério me deparei com uma garotinha sentada em um banco próximo ao ponto de ônibus, me aproximei e perguntei.
— Olá, você não tem medo de estar aqui a esta hora da madrugada sozinha?
Ela então me respondeu.

— Quando eu era viva eu tinha.




9 de dezembro de 2016

"Não brinque com coisas mortas"

Nunca brinquem com coisas mortas



"Nunca brinquem com coisas mortas". Me lembro desta frase como se a estivesse escutado ontem e ela já estava na minha cabeça a mais ou menos dez anos , foi meu avó quem me disse, pois sabia que era algo que nunca devia-se fazer. O fato que irei contar foi contado para mim pelo meu avó hoje falecido o seu nome irei mudar por respeito e privacidade. Era aproximadamente 9h da noite quando Olavo e seus amigos voltavam da escola, deviam ir direto para casa já que estudavam a noite e seus pais não queriam que eles ficassem na rua ate tarde, mas estavam convencidos de passar no cemitério para realizarem um desafio, chegando la começaram a zombar das fotos dos falecidos que ficavam nas sepulturas, não satisfeitos em fazer chacota começaram chutar algumas cruzes e quebrar alguns tumulos causando um verdadeiro vandalismo, foi quando de repente um luz surgiu de uma capela e um homem saiu com uma lanterna atras dos baderneiros, era o vigia do cemitério ele botou os moleques para correr. Já em casa Olavo tomou uma surra por ter ficado ate tarde e não ter obedecido seus pais , eles o mandaram tomar um banho e jantar e ir logo para a cama sem direito a televisão, computador ou algo interativo naquela noite . No dia seguinte Olavo acordou com alguns pequenos hematomas no corpo mais não deu importância a nada daquilo , tomou seu café da manha e foi fazer a lição de casa, no meio da lição alguém o chamou do lado de fora ao ir atender viu que não se tratava de ninguém e que nem mesmos seus pais estavam em casa, pois trabalhavam o dia todo praticamente , voltou ao dever e assim que terminou sentou no sofá e começou a assistir TV onde passava um jornal que falava a respeito do cemitério local que havia sido depredado por vândalos, no meio da filmagem ele viu então uma figura sombria atrás da repórter ela atravessara de um lado para o outro em fração de segundos, o garoto ficou petrificado pois lembrava bem daquele rosto em um dos túmulos no qual tinha derrubado, como estava atrasado desligou a TV e foi para a escola. Nenhum de seus amigos o acompanhara aquela noite, foi sozinho e voltou sozinho, próximo ao cemitério um assobio ecoou de dentro do cemitério ao olhar a mesma figura que surgira no jornal parava e o fitava com os olhos acenando então para ele que neste instante disparou a correr ate sua casa ao chegar la contou a historia para os seus pais , Olavo ficou tento pesadelos e visões ate o dia em que uma benzedeira foi ate a sua casa o benzeu ele foi ate o cemitério acendeu uma vela para todos que ali descansava e com orações se desculpou por tudo que fez . Deste dia para cá Olavo nunca mais tivera problema algum com nada sobrenatural ou algo do tipo no ano de 2008 ele me contou esta historia e disse para mim e para todos meus primos "Não brinquem com coisas mortas". No ano seguinte faleceu em seu velório as coroas de flores voaram misteriosamente do seu túmulo , sempre que alguém ia visitar seu túmulo via que a cruz e todo o resto estava quebrado e depredado e nenhuma flor se quer ficava no local , os vigias dizem que não tem tido problemas com vândalos mais aquilo era de fato intrigante seria o fantasma dos demais mortos vingando do que ele fizera ?. Lembrem-se , "Nunca briguem com coisas mortas"

Se copiar colocar devidos créditos , na boa em
http://horrorurbano.blogspot.com/
Escrita por : Glaucow Maciel Freitas

3 de dezembro de 2016

Distúrbios do Sono - Sinfonia na Madrugada


Distúrbios do sono consistem nas dificuldades relacionadas ao sono. O sono tem quatro fases, e cada uma delas é responsável por uma atividade diferente. Dificuldades em qualquer uma das fases do sono pode trazer prejuízos a curto e longo prazo


A partir de hoje vou contar a vocês todas as experiências que tive com distúrbios do sono, como: paralisia, terrores noturnos, pesadelos lúcidos e etc... Andei pesquisando muito a respeito e assisti também vários documentários onde obtive muitas informações relevantes. Um destes documentários até gostaria de indicar para vocês caso sofram com tal problema ou tenham curiosidade para informar sobre, a Netflix fez um documentário chamado The Nightmare, com relatos de pessoas que sofrem com tal problema e com explicações a respeito. Fica a dica. 

Hoje vou contar a vocês minha primeira experiência que me recordo com problemas de distúrbios do sono que tive. Como este e o primeiro de muitos posts a respeito de minhas experiências aqui vão algumas informações a respeito. Caso quiser ir direto para o conto fique a vontade.


O que é Distúrbio do sono?

Distúrbios do sono consistem nas dificuldades relacionadas ao sono. O sono tem quatro fases, e cada uma delas é responsável por uma atividade diferente. Dificuldades em qualquer uma das fases do sono pode trazer prejuízos a curto e longo prazo.
Entenda como funciona cada fase do sono:
Fase 1: Abrange 10% da noite. Nesta fase, ocorre a transição entre a vigília e o sono. Quando escurece, ocorre a liberação da melatonina no organismo, que induz a sonolência
Fase 2: Abrange 45% da noite. Na fase 2, diminuem os ritmos cardíaco e respiratório, os músculos relaxam e a temperatura corporal baixa. É a fase do sonho leve
Fase 3: Abrange 25% da noite. O corpo funciona mais lentamente e o metabolismo cai. O coração passa a bater em ritmo mais lento e a respiração também fica mais leve
Fase REM: Abrange 20% da noite. Esta é a fase do sono profundo. REM, em inglês, significa “Rapid Eye Movement” (movimento rápido dos olhos). É nesta fase em que ocorrem os sonhos, a pessoa tem descargas de adrenalina e há picos de batimentos cardíacos e pressão arterial.
De todos os distúrbios os mais comuns são:




Vamos ao relato...
Era noite e como estava muito cansado resolvi me deitar, era um pouco mais cedo que o habitual, li algumas paginas de um livro (Garota Exemplar) me recordo de ter colocado o meu celular tocando música, pois sempre tenho este habito, a musica me ajuda a pegar no sono um pouco mais rápido. Olhei no relógio e este marcava 21h50minh, foi em um piscar de olhos que acordei e me peguei sentado na cama olhando fixamente para a parede, estava muito suado, eram exatamente as 03h00min, eu não me lembrava de ter dormido tanto tempo e o mais estranho era que uma musica alta tocava em algum lugar, porem na cidade onde moro ninguém iria estar com um som tão alto àquela hora ainda mais escutando musica clássica, me levantei e fui beber água pois minha boca estava muito seca e a garganta doía muito, como se tivesse gritado o dia todo, estava também afim de descobrir de onde a tal musica vinha, o problema e que não conseguia identificar de que lado o som estava vindo, ate que notei que a mesma estava em minha mente isso foi muito bizarro, era como se um aparelho de som estivesse tocando em meu subconsciente, absurdamente a música estava na minha cabeça. Alguns dias se passaram e uns amigos vieram até minha casa para uma comemoração, um deles iria ficar e dormir já que morava longe e não tinha muita condição de dirigir devido a embriaguez. No dia seguinte esse meu amigo me disse que levantou para ir ao banheiro e me viu sentado em minha cama cantando uma  música muito estranha, foi quando perguntei que tipo de música era e ele então respondeu, “ Você estava cantando uma música clássica, foi muito assustador, talvez deva procurar ajuda”.

Se copiar colocar devidos créditos, desde já agradeço, obrigado!

Ass:Glaucow Freitas