Novidades

10 de fevereiro de 2018

O Paraíso Logo Ali



Estávamos todos de férias  e por isso resolvemos fazer um programa diferenciado , estávamos a fim de acampar próximo as fazendas  da cidade no meio da mata (Eu ,  Penny  , Francis e Tyler) estávamos todos muito animados , já que estaríamos sozinhos , literalmente sozinhos e longe da civilização ninguém iria nos incomodar . A viagem foi tranquila, chegamos próximo a um local onde era impossível acessar de carro então o largamos e pegamos uma trilha seguindo a pé, o sol estava intenso e o cansaço era inevitável paramos muitas vezes no caminho para nos refrescarmos e descansarmos, porem sabíamos que se escurecesse seria impossível andar pela trilha, já que ficaria perigoso o contato com animais selvagens e correríamos o risco de nos perdermos . O céu começara a escurecer, por pararmos muito estávamos bem longe do local onde desejaríamos chegar, tive então a ideia de arrumamos o acampamento no local em que estávamos sendo que seria impossível prosseguir na mata a noite. Arrumamos tudo com devido cuidado e acendemos então uma fogueira, ficamos ali contanto historias de todos os tipos enquanto tomávamos algumas bebidas , Francis e Amanda começaram a se pegar e foram para uma das barracas , sobrando apenas eu , Tyler e Penny , estávamos sem sono e não tínhamos hora para dormir , após alguns instantes resolvemos dormir pelo frio que estava no local e o quanto antes saíssemos dali mais cedo chegaríamos e teríamos mais tempo para aproveitar o camping. No meio da noite alguns barulhos me incomodaram e também acordou Tyler, notamos que alguma coisa rodeava as barracas com medo ficamos quietos dentro das mesmas a fim de não sermos pegos por nenhum predador, ate que o tempo passou e meu sono foi embora , Tyler provavelmente adormeceu pois não me respondia , olhei o relógio e marcava 3 da manha , notei que ventava muito, foi  quando escutei algumas vozes vindas do lado de fora , pensei quem poderia ser , ate pensei ser algumas das meninas só que Penny estava na mesma barraca que eu e Amanda por ser medrosa jamais sairia de sua barraca naquela escuridão , a conversa intensificou e pude entender algumas palavras algo como “ o paraíso e logo ali “ fiquei com aquilo na cabeça , tentei chamar Tyler porem o cara dormia como uma pedra , o barulho parou e resolvi deixar de lado . Na manha seguinte notamos alguns rastros e pegadas próximas as barracas e alguns lixos revirados, parecia de fato que alguém passara ali, lembrei das vozes e contei para todos que me ignoraram. Já em uma parte da trilha notamos um rastro de sangue que nos deixou aflitos , seguimos e a medida que andávamos o rastro aumentava , resolvemos apertar o passo até notarmos uma placa onde nela estava escrito “ O Paraíso e logo ali “ lembrei imediatamente da voz da madrugada , ignoramos a placa e seguimos caminho . Ao chegar em nosso destino final arrumamos tudo e resolvemos nos divertir de varias formas , foram dois dias incríveis naquele local , porem os mantimentos tinham acabado e teríamos de partir , pegamos estrada. No caminho novamente o rastro de sangue que estava fresco o que era ainda mais estranho , por curiosidade resolvemos seguir este rastro até que chegamos a misteriosa placa “ O paraíso e logo ali “ as meninas estavam morrendo de medo , e confesso que também estava , porem a curiosidade era maior , Tyler então falou que iríamos ate uma pequena parte e voltaríamos , trato feito , a medida que avançávamos as coisas ficavam ainda mais estranhas notamos que alem de rastros de sangue , tufos de cabelo estavam no caminho , por um instante pensamos em parar , porem agora era inevitável não seguir a curiosidade havia tomado conta de nossas mentes e não tínhamos mais controlo de nossos corpos, caminhávamos como marionetes guiadas por algo muito forte . 





Chegamos a um local onde partes humanas estavam jogadas para todo canto em uma espécie de gruta isolada e um canto chamava atenção total com uma placa escrito “ O paraíso e logo ali “ apontando para dentro da caverna , a força nos guiava para dentro deste lugar a agonia que sentia era inexplicável, sentia que aquilo ali era a pior forma de dor. A partir desse ponto não me recordo do que aconteceu , creio que estamos mortos , não reconheço este lugar e não sinto dor alguma exceto emocional , meus amigos nunca mais vi , e se quer alguém conhecido , consigo escutar as preces dos que rezam por mim porem não consigo responder e isso muito me aflige, a dor incomoda, parece rasgar minha pele " ahhh o paraíso " , queria que fosse verdade uma vez rasgada não teria mais o que rasgar, porem não rasga nada e apenas dor “ PAIN ! PAIN ! PAIN ! CRY ! CRY ! CRY ! CRY ! “ essa e a melodia mais tocada aqui,  dor seguido de sádicas risadas e um leve humor , estriparam Tyler vivo , como eu sei ? Eu vi tudo, o abriram e arrancaram as vísceras, não sei se estou morto não sei qual plano eles tem para mim, não sei o que esta acontecendo , apenas vejo um clarão a cada mais ou menos  uma hora , e um ser me visita gostaria que não acontecesse . 





O tempo não passa, hoje vi minha mãe, não sei bem se era ela, porem vi uma pessoa e esta visão me confortou de certa forma, espero que não esteja neste tal paraíso como eu, Penny morreu , fui obrigado a assistir tudo a um tempo atrás, foi uma espécie de sacrifício nessa hora a trilha sonora era  ... Peque um pedaço de carne e tente a cortar com uma faca cega...  Francis não sabe o que aconteceu com ele, desmaiou antes mesmo de tudo isso acontecer, porem escuto seu grito em algum lugar, um grito de piedade e socorro. Preciso de ajuda, alguém? Venha para o paraíso e tenham muito cuidado! O paraíso e logo ai! Talvez esteja me perguntando, e a tal Amanda? Amanda ? Que Amanda ? 

Se copiar colocar devidos créditos , obrigado !
Ass Glaucow M Freitas

Fome de Amor


Em uma cidadezinha no interior de MG vivia um casal de jovens recém casados  , Léo e Paola tinham muitos sonhos e planos futuros para a suas vidas e acabara de se mudar para uma casinha no interior , onde pretendiam reconstituir uma família e viver a vida de um casal apaixonado . Os dias eram belos e tudo era perfeito para o casal , o rapaz saia cedo para o serviço e sua esposa ficava cuidando dos afazeres domésticos e sempre que chegava do serviço cansado Léo era recebi com muito amor e com grandes pratos culinários de primeira linha , já que Paola era muito prendada e sabia cozinhar muito bem , dom que herdara de sua mãe Dona Bernadete que era também uma grande cozinheira . O tempo foi passando e Paola já grávida a um tempo deu a luz a João nome de batizo do primeiro filho do casal , a família parecia radiante com a chegada do bebê o que Léo não imaginava era que com isso Paola ficaria com menos tempo para fazer para ele seus deliciosos pratos , Léo que era um grande homem glutão como si só  sempre esfomeado queria por que queria pratos novos e comida boa para poder comer ao chegar do serviço , mais a qualidade das refeições foram diminuindo já que agora Paola tinha que cuidar também do filho . Com o passar do tempo as brigas eram inevitáveis e todo dia tinha um bate boca  , ate que Léo certo dia agrediu sua esposa e disse “ Se vira , trata de fazer o seu dever que e me servir , pois eu mantenho tudo isso com meu suado dinheiro de serviço “ . Paola arrasada não sabia o que fazer , chorando aos prantos ao ver seu marido partir para o serviço insatisfeito com o relacionamento , pensou como poderia reatar aquele romance e a gula do marido , já que ela não queria ficar brigada com ele por quem jurou amor eterno , mais logo teve uma magnífica e bizarra ideia . Ao chegar em casa o Léo sentiu um aroma vir da cozinha , impressionado já com o cheiro gritou para Paola que o chamou ate a sala de jantar , ao chegar , uma mesa farta estava ao seu dispor com muita variedade e um prato principal que Paola fez com todo amor para seu marido , ele então abraçou sua amada e agradeceu pedindo também desculpas pelo modo que agira mais cedo  , sentaram e começaram a devorar  esfomeados  , deliciavam cada pedaço de carne daquela refeição , Léo elogiou inúmeras vezes , foi quando então perguntou “  Onde estas João para poder saborear também esta refeição ?” foi quando Paola o olhou e disse “ Meu amor agora nada nos distanciara novamente , neste momento ele esta bem próximo de nos  e chamá-lo será impossível “ . Por espanto de Paola , Léo ficou ainda mais faminto e devorava cada pedaço como um canibal esfomeado .Dizem que depois de João o casal teve mais dois filhos , estes apenas para poder saciar a fome de ambos .
 
Se copiar colocar devidos créditos, Obrigado !
Ass:Glaucow Maciel Freitas

3 de fevereiro de 2018

A Morte De Jeannie Saffin




Jeannie Saffin era uma mulher inglesa cuja morte provocada por terríveis queimaduras em 1982, é citada por paranormais, pesquisadores e diversos autores como um exemplo verdadeiro de Combustão Humana Espontânea (CHE) e é relatado como o caso suspeito deste fenômeno mais típico e recente do Reino Unido. Os relatórios feitos imediatamente após a suas lesões e posterior morte aparentemente apoiam a conclusão de que sua morte foi realmente causada por CHE, no entanto pesquisas posteriores lançaram dúvidas sobre algumas das provas e refutam as alegações de que seus ferimentos foram causados por CHE.





A história

Jeannie Saffin, estava com 61 anos quando o incidente aconteceu e tinha defeitos congênitos que produziram deficiências mentais que reduziam suas habilidades às de uma criança de seis anos de idade. Na noite de 15 de setembro de 1982, ela estava sentada com seu pai na cozinha da casa da família em Edmonton. Seu pai, Jack Saffin, estava distraído quando de repente sua atenção foi atraída para Jeannie. Sua filha, sem mais nem menos, estava ardendo em chamas. Jack Saffin e seu enteado Don Carroll, que também estava na casa, apagaram o fogo com água da pia cozinha, e então chamaram uma ambulância. Jeannie foi enviada para o North Middlesex Hospital e em seguida transferida para a unidade de queimados do Hospital Mount Vernon, onde ela foi tratada até a sua morte, oito dias depois do incidente, devido a "bronco-pneumonia provocada por queimaduras", de acordo com seu atestado de óbito.  Seus parentes sugeriram no inquérito policial que a morte poderia ter sido um caso de Combustão Humana Espontânea, mas o legista, Dr. John Burton, disse que "não existia tal coisa" e não confirmou este veredito.

Os depoimentos do pai de Jeannie e de Don Carroll, afirmam categoricamente que Jeannie tinha chamas que saíam de seu corpo, principalmente de suas mãos e de sua boca, como se fosse um dragão, mas que não produzia som algum. Tanto Carroll como Jack Saffin têm repetidamente afirmado que antes de Jeannie começar a arder em chamas, não havia nenhuma fonte de ignição na cozinha que pudesse ter provocado o fogo em Jeannie, exceto a pequena chama-piloto do fogão a gás. Carroll também afirma que as roupas de Jeannie não queimaram e que não havia fumaça na cozinha. 
Vários pesquisadores de fenômenos paranormais citaram ansiosamente o caso Saffin como sendo  prova definitiva de que a Combustão Humana Espontânea é um fato e não uma lenda. Os defensores da teoria da combustão têm afirmado que uma das provas mais incontestáveis é que "ela queimou, mas suas roupas não".  No entanto, pesquisas posteriores feitas por Joe Nickell sugerem que as roupas Saffin foram sim queimadas. Em uma declaração escrita apresentada no momento da morte Saffin, Carroll afirmou que as roupas Jeannie foram gravemente queimadas. Além disso, relatórios da polícia indicam que após a sua chegada, policiais testemunharam a queima das roupas de Jeannie e as removeram depois de debelar as chamas. 




A fonte das chamas foi também examinada pelos céticos. Carroll afirmou que as chamas vieram da boca Jeannie, no entanto, a evidência médica não suporta esta conclusão: “A parte interna da boca de Saffin não foi danificada”, de acordo com registros do hospital. Os registros médicos também suportam a conclusão de que a maioria das queimaduras de Saffin foram o resultado de contato com a queima ou derretimento do nylon de sua roupa. Os padrões de queima e de fusão de suas roupas poderiam fazer parecer que o fogo vinha de dentro de Jeannie Saffin.  Opositores da teoria da Combustão Humana Espontânea também têm uma possível explicação para a fonte de ignição da chama que incendiou a roupa de Jeannie, causando o fogo. Carroll fez várias declarações que a única fonte de fogo na cozinha era a chama-piloto do fogão. Em uma entrevista, porém, ele declarou especificamente que Jack Saffin, no momento do incidente, estava carregando um cachimbo com tabaco fresco. Nickell esboça uma explicação plausível, dizendo que Jack Saffin teria descarregado o tabaco usado de seu cachimbo, a fim de recarregá-lo, e que ao fazê-lo, acabou derrubando brasas do cachimbo nas roupas de Jeannie. Nickell sugere que isto é o mais provável, porque no momento do fogo, a janela da cozinha e a porta estavam abertas, causando um vento cruzado, que teriam iniciado o fogo ao lançar e atiçar as brasas em contato com as roupas de nylon, que por serem altamente comburentes, queimaram e causaram as graves queimaduras constatadas no corpo de Jeannie durante a autópsia. 

A verdade é que não se pode descartar as teorias dos que acreditam em um fenômeno natural, nem dos que acreditam em paranormalidade, nem tampouco dos céticos, o que torna a história de Jeannie Saffin um dos maiores mistérios do século XX, uma perfeita História Cabulosa. 

Relato retirado da internet 
Se copiar colocar devidos créditos, obrigado ! Horror Urbano


A Tragedia do Cine Oberdan



Inicio do século XX, mais precisamente final da década de 1920, corria o ano de 1927 quando foi inaugurado pelos irmãos Taddeo da Sociedade Italiana Leale Oberdan, o mais luxuoso cine theatro de São Paulo, o “Cine Theatro Oberdan”, que logo passou a ser chamado somente de Cine Oberdan. O nome Oberdan é uma homenagem dada a Guglielmo Oberdan, um famoso anarquista italiano cujo camafeu com seu rosto pode ainda ser encontrado na fachada lateral do prédio. Localizado a altura do número 95 na rua Ministro Firmino Whitaker (antiga Chavantes, número 07) em junção com a Saião Lobato no bairro do Brás, o cinema destacava-se em meio às demais construções de sua época por sua imponência e luxo. Com seu enorme interior (mais de 1.200 lugares) repleto de grandes estatuas, o teto todo ornamentado em azulejos vindos de Portugal e com suas escadarias ostensivas, o Cine Theatro vivia lotado da mais alta sociedade paulista, tanto em suas sessões noturnas quanto nas vesperais. Mesmo com concorrentes a altura, como o notável Cine Metro, o Oberdan reinava absoluto entre os maiores cinemas de São Paulo, reinado esse que foi ocasionalmente prejudicado depois de uma enorme tragédia ocorrida em 1938, onze anos após sua inauguração.

"O Cine Theatro Oberdan no inicio dos anos 1930"

Domingo, 10 de abril de 1938, era pouco mais de 15:00 horas quando iniciava a vesperal do Cine Oberdan; o espetáculo trazia além dos seriados Agente Secreto X-9 e Ameaças da Selva, que eram as grandes sensações da criançada, os filmes Astúcia Contra a Força e a grande atração Criminosos do Ar, de Charles C. Coleman. Completamente lotado, 1.200 ingressos foram vendidos, sendo a maior parte deles destinados a petizada. Talvez o que para muitos ali presentes significava mais um final de semana trivial, para outros era uma novidade estar adentrando pela primeira vez naquele magnificente “Theatro”. O mais triste porém, é saber que para mais de 30 pessoas aquela estava sendo definitivamente a última sessão de cinema.
" Em estreia Criminosos do Ar de Charles C.Coleman"

Mais o que aconteceu afinal? Qual foi a tragédia que destruiu famílias e manchou definitivamente a fama e a ostentação do majestoso cinema? Pois bem, segundo consta, existem duas versões que explicam o confrangedor incidente. A primeira delas diz que próximo do final do filme em uma determinada cena onde dois aviões se chocam ocasionando uma explosão, em meio ao barulho e a ação do filme ouve-se na platéia gritos de fogo!! fogo!! Nesse momento, o público diante de grande temor, imaginando que se tratava de um incêndio, parte em disparada rumo às saídas (que não eram mais que duas, já que na época não havia a preocupação em se ter saídas de emergências) que se davam através das ostensivas escadas. O pânico e o desespero que tomou conta das crianças e adultos fizeram com que a cordialidade e o cavalheirismo desaparecessem e em um verdadeiro ato de salve-se quem puder iniciou-se uma triste e fatal cena. 

"Uma rara foto interna comprova o tamanho do local"

Atropeladas enquanto a multidão freneticamente corria de algo que não existia, diversas crianças eram pisoteadas e lançadas escadas abaixo resultando em pouquíssimos minutos um verdadeiro massacre. Até tomarem conta de que não havia incêndio algum a loucura já estava feita e somente com a chegada do socorro pode-se perceber o tamanho da desgraça. O chão do majestoso Hall de entrada do Cine Theatro Oberdan encontrava-se abarrotado de sangue e cadáveres; cerca de 30 crianças e uma única mulher adulta que morreu pisoteada quando na tentativa de salvar seu pequeno bebe deitou-se no chão cobrindo-o com os braços.

"As apertadas escadas de acesso as saídas e os vestígios de desespero"

" Vestígios de desespero "

"Crianças mortas no local"

O chefe de policia da época, o Sr. Brasiliense Carneiro assim que constatou a seriedade da ocorrência tratou de pedir a urgente remoção das vitimas e feridos do lugar encaminhando-os respectivamente para o necrotério do Araçá (no cemitério da Quarta Parada) e para a santa casa de São Paulo. Em seguida, fechou até segunda ordem o cinema para a realização da pericia. O impacto da tragédia foi de tão grande repercussão que sensibilizou toda a capital. Os jornais Folha da Manhã, Folha da Noite (atual Folha de São Paulo), Estado de São Paulo e Correio Paulistano deram completa cobertura a tragédia levando a população detalhes minuciosos do ocorrido.

" Mesmo dias após a tragédia as noticias repercutiam "

Jornal " Folha da noite " do dia 11 de abril de 1983 noticia a tragédia"

Jornal " Correio Paulistano " de 12 de abril de 1983

" Notas de jornais dando como fechado o Cine temporariamente "

A pericia realizada no interior do prédio e os relatos dos sobreviventes que presenciaram o fato levaram a policia técnica a chegar a uma outra versão sobre o que realmente aconteceu naquele fim de tarde. Essa, portanto ficou definida como sendo a versão verdadeira do incidente: Um menino que se encontrava na platéia sentindo fortes dores de barriga tenta o auxilio de um lanterninha para se dirigir até o banheiro, não encontrando nenhum, ele segue sozinho até o mesmo. Sem ter tempo de chegar, ele acaba por fazer parte de suas necessidades no caminho, e ao encontrar-se nos sanitários, para sua surpresa, as luzes estavam desligadas. Não tendo como se limpar no escuro o menino decide atear fogo em um pequeno pedaço de jornal, e estando com a porta entreaberta, desperta nesse momento a atenção de alguém que imediatamente diante das pequenas chamas alarma o incêndio.
" O banheiro onde foram encontrada as provas do relato"

" A bermuda do petiz confirma os fatos"

Diversas famílias foram arrasadas diante da triste situação. Alguns pais nunca se conformaram em perder de maneira tão brusca seus pequenos filhos. Conta-se que uma mãe lamentou até seus últimos dias de vida (no inicio dos anos 80) o fato de ter contrariado o filho Enrico Mandorino que desejava ir ao Jóquei Club da Mooca naquela tarde, e ela não permitindo, sugeriu que o mesmo sossegasse passando à tarde na vesperal do cinema. Outro caso mais triste ainda foi o dos Pricolli que perderam dois filhos na tragédia, os pequenos Walter Pricolli de 12 anos e Pedro Pricolli de 8. O poder público do estado ao notar que grande parte das famílias não se encontrava em condições financeiras de realizar o funeral de seus entes queridos, decide pagar todas as despesas e fazer a última homenagem de forma coletiva. Nesse triste dia a associação comercial juntamente com a federação das indústrias e os sindicatos dos empregados de São Paulo decidem decretar luto oficial, parando completamente a cidade. A multidão que acompanhou as exéquias, segundo relatos dos jornais, foi gigantesca, todos se encontravam destroçados diante do horrendo acontecimento. 

 O desespero toma conta de familiares no local

Minutos após a tragedia do aglomerado de curiosos

Em meio a confusão estacionam os carros funerários


Moça se despede do suposto irmão morto

No necrotério do Araçá corpos são reconhecidos

Pai se despede de seu filho

As vitimas do necrotério de Araçá

O trágico resultado do frenesi ocasionado por nada

Assustados, três dos sobreviventes recebem jornalistas ainda em hospitais

Funeral de algumas vitimas 

Reportagem do Coreio Paulistano, momento feliz de alta de José Musico com seu pai

Triste caso de Carmino Pricoli que perdeu dois filhos

O Cine Theatro Oberdan ficou fechado somente 03 dias depois do incidente, pois conforme observamos nesse anúncio abaixo, extraído do jornal Folha da Manhã do dia 12 de abril, então uma terça feira, ele anunciava sua reabertura para próxima quinta dia 14 exibindo o filme “Vida, Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo”, possivelmente em função das comemorações de Páscoa.

Jornal folha de SP da manhã de 12 de abril de1938

Mesmo estando novamente em funcionamento, nunca mais o cinema foi o mesmo, e sua popularidade diminuía consideravelmente com o passar dos anos. A pompa e o glamour de outrora não mais existia, restavam somente as tristes lembranças daquela fatídica tarde. Em meio altos e baixos as portas do Cine Theatro Oberdan fecharam-se definitivamente em meados dos anos 60 e o prédio caiu em um profundo e silencioso esquecimento. Nos anos setenta, mediante a ótima localização comercial, a edificação é vendida para a empresa de roupas de cama, mesa e banho “Lojas Zelo”, que decidiu preservar (pelo menos externamente) a estrutura original da construção. Hoje, o antigo Cine Theatro Oberdan, que no passado ostentou tantas diversões e infelizmente uma grande tragédia, permanece lá passando despercebido entre a multidão que sem saber de seu passado o considera apenas mais um imóvel antigo de São Paulo.

" Hoje o local funciona com a mesma arquitetura um prédio da fabrica Zelo "


FONTE :
Agradeço imensamente a minha fonte; Douglas Nascimento e sua perfeita matéria publicada em seu perfeito site: São Paulo Antiga, (www.saopauloantiga.com.br) Não deixem de visitar.
Para maiores informações sobre esse incidente visite também o arquivo digitalizado dos Jornais Folha da Manhã e Folha da Noite filtrando a pesquisa pela data do ocorrido, para facilitar siga o seguinte link que já te levara a principal matéria: http://acervo.folha.com.br/fdm/1938/04/12/145
http://ocinemaantigo.blogspot.com.br/2012/04/triste-vesperal-do-cine-oberdan.html









31 de janeiro de 2018

Baba Vanga ( Misteriosas e Assustadoras Previsões )


  
Vangelia Pandeva Dimitrova nasceu em 31 de janeiro de 1911 emStrumica, no Império Otomano (atual República da Macedônia). Seu nome deriva da palavra grega "Evangelos", que significa "portador de boas novas". Seu parto foi extremamente prematuro, o que acarretou diversos problemas de saúde.

Apesar de ser uma criança comum, de olhos azuis e cabelos loiros, Vangelia viveu vários anos somente com doações de seus vizinhos, pois seu pai servia ao exército búlgaro e a mãe havia morrido nos seus primeiros anos de vida. Seu pai foi atencioso o suficiente para somente se casar de novo com a mulher certa para ser madrasta dela e dos irmãos.

A menina era extremamente inteligente, frequentemente inventando jogos intrincados. Era muito ligada à homeopatia, sempre receitando ervas para curar diversas enfermidades para os amigos, mesmo que fosse somente por brincadeira. Aos 12 anos de idade, ela foi carregada por um tornado (embora não haja registros meteorológicos da época nem ela mesmo tenha confirmado a veracidade do fato) e encontrada horas depois com os olhos cheios de areia e destroços. Seu pai não tinha dinheiro suficiente para uma operação, o que a deixou cega para sempre.

Em 1925 ela foi levada para uma escola para cegos em Zemun, uma municipalidade de Belgrado, na Sérvia, onde aprendeu a ler Braile, tocar piano, costurar, cozinhar e limpar. A morte da madrasta fez com que ela retornasse aStrumica para cuidar dos irmãos. Por ser de uma família muito pobre, Vangelia tinha de trabalhar praticamente o dia todo para conseguir o mínimo de sustento. Após contrair pleurite em 1939, um médico previu sua morte em poucos anos, mas Vangelia curou-se rápida e milagrosamente. Este fato começou a atrair seguidores e também a despertar boatos de que ela seria uma bruxa - o que era comum se suspeitar de uma pessoa que consegue se curar sozinha até poucos anos atrás naquela região.

Mas foi só a partir de 1941, quando o tsar Boris III a visitou, que sua fama começou a correr pela região. Vangelia mudou-se para a região das montanhas Rupite, na Bulgária, e casou-se com seu único marido, Dimitar Gushterov, em 1942. Ele a havia procurado para tentar identificar os assassinos de seu irmão, mas jurou a ela que não buscava vingança.

Sua vida é um tanto obscura nos anos seguintes, mas muitos foram os registros feitos por pessoas próximas. Sabe-se que seu marido contraiu uma doença não identificada em 1947 e morreu em 1962 devido ao alcoolismo e que, apesar de ser semi-analfabeta, Vangelia falava muito bem. Suas profecias eram proferidas em enigmas linguísticos como os de Nostradamus, alguns dos quais até hoje têm suas traduções disputadas. Entre seus seguidores, era conhecida como Baba Vanga ("baba" sendo a palavra búlgara para "avó").

Perto do fim de sua vida, ela revelou que tinha várias visões aterrorizantes de acontecimentos futuros, mas que não os expunha para evitar gerar pânico e porque não gostava de falar sobre o que "nós vamos fazer com este lugar". Vangelia morreu em consequência de um câncer de mama em 11 de agosto de 1996, aos 85 anos. De acordo com familiares, ela previu o dia de sua morte e o de seu enterro (13 de agosto). Baba Vanga afirmou que uma menina cega nascida na França herdaria seus poderes e logo seria conhecida.


OBTENÇÃO DE PREVISÕES E PODER DE CURA

Vangelia nunca escreveu ou ditou nenhum dos livros que hoje carregam seu nome. Tudo que ela alegadamente disse foi obtido de depoimentos de pessoas próximas a ela e, no fim de sua vida, de uma equipe que a acompanhava.

Ela dizia que suas previsões eram obtidas de criaturas invisíveis, as quais nunca conseguiu - ou nunca quis - descrever fisicamente. Tais criaturas passavam informações aleatórias sobre pessoas em diversas partes do mundo, as quais ela não podia repassar por motivos de distância e barreiras linguísticas, por não estarem presas ao tempo e espaço. Ela dizia ouvir vozes "passadas, presentes e futuras", algumas vindas de centenas de anos no passado. Vangelia também afirmava que podia ver a vida de qualquer pessoa que ficasse em sua frente como se fosse um filme, desde o nascimento até a morte futura, mas que nada podia fazer para modificar o que foi "escrito no momento da geração".

Baba Vanga era conhecida como uma exímia curandeira. Ela afirmava que a cura de doenças só é possível através da homeopatia e somente com ervas nativas do país do doente. Vanga não era uma ativista anti-remédios farmacêuticos, mas não os recomendava por acreditar que "a ingestão de muitos remédios 'falsos' fecha as portas pelas quais a natureza restaura o balanço natural do corpo com as ervas."


CONTROVÉRSIAS E ADORAÇÃO NA RÚSSIA

Durante sua vida e após sua morte, Baba Vanga foi envolvida em diversas polêmicas que tratavam desde sua origem ao real poder de previsão e cura, e seu envolvimento com o Partido Comunista da Bulgária. Vários estudos foram feitos para tentar descobrir se suas profecias eram reais ou farsas orquestradas, mas em média, os estudos mostravam que 80% de suas previsões passadas se concretizaram.

Nas décadas de 1960 e 1970, Vanga começou uma longa amizade com o governo búlgaro. Quer soubesse ou não, os líderes do Partido Comunista utilizavam suas previsões para obter vantagens econômicas e estratégicas. Nos anos 1980, o governo passou a cobrar valores simbólicos por suas consultas e a pagar um salário fixo para Vangelia - valor que era menor que 1% do arrecadado. Sua casa era totalmente grampeada e agentes secretos trabalhavam entre os membros de sua equipe. Acredita-se que Baba Vanga tenha sido instruída a dar informações incorretas para influenciar os diversos políticos de todo o mundo que a visitavam.

Os russos a adoravam há algum tempo. Baba Vanga previu a morte de Stalin (1953), o desastre de Chernobyl (1986), a queda da União Soviética (1991), o segundo mandato de Boris Yeltsin (1995) e o desastre com o submarino russoKursk (2000) - este último cerca de 6 anos antes. A maior parte dos russos a têm como uma mensageira direta deDeus. Por outro lado, os católicos do país a têm como uma enviada de Satanás e falsa profeta. Entre eles corre o boato de que Baba Vanga ficou extremamente furiosa com um padre que a visitou portando uma cruz e teria dito que o objeto "interferia no seu poder de previsão".


A ÚLTIMA ENTREVISTA

Em 1994, Anatoly Lubchenko, um vendedor itinerante ucraniano recém eleito chefe do Rada (parlamento da Ucrânia), se sentiu atraído para a casa de Baba Vanga enquanto tirava férias na Bulgária. Já velha e muito debilitada, ela concedeu, sem que ele perguntasse, uma entrevista simples. Anatoly a gravou em uma fita usada, que dizem ter sido perdida depois da divulgação - instruída pela própria Baba Vanga para "só depois do novo milênio" (após o ano 2001). A conversa durou cerca de 45 minutos e não há muitas fontes com sua transcrição completa.

Segue tradução das partes encontradas 
aqui e aqui.


"Ninguém sabia sobre esta entrevista por um longo tempo. Vanga fez estas profecias pouco antes de sua morte. Ela pediu para não torná-las públicas antes do novo século. Uma vez Anatoly Lubchenko trouxe uma fita de áudio comum para o correspondente do Mirror of the Week. 
Anatoly diz: 'Eu a visitei no verão de 1994, quando fui eleito para o Rada pela primeira vez. Eu estava de férias na Bulgária e de alguma forma tive a idéia de dar uma olhada em sua casa. Ouvi dizer que ela estava doente e não tinha nenhuma esperança de vê-la, mas quando cheguei a Petrich, um homem saiu da multidão e me convidou para entrar. Eles olharam para mim como se eu fosse leproso, e eu realmente senti medo - o que poderia esperar por mim? 
Ela estava deitada em uma cama grande e parecia tão magro quanto um palito. Estava queito lá; as moscas estavam voando sob o teto pintado a cal. Vi que seus dias estavam contados, mas no entanto, havia uma longa fila de pessoas esperando pela sua vez, todas ansiosas para perguntar sobre os seus problemas. E lá fui eu, que veio acidentalmente e não sabia o que perguntar. 
Naquele momento ela se virou para mim: 'Onde está o seu pai?'. 'Na Alemanha', eu respondi. Ela ficou em silêncio por um longo tempo e eu percebi que ela sabia sobre o câncer. 'Em breve, - ela disse, - esta doença será derrotada, acorrentada com grilhões de ferro. Mas seu pai não sobreviverá a ela'. Em seguida, ela se manteve em silêncio de novo e acrescentou: 'Mas você estará bem em Kiev, é uma cidade boa, eu vejo...'. 
Naquele momento eu pensei sobre o meu gravador com uma fita de aulas Inglês. 'Posso gravar a nossa conversa?', perguntei. O homem sentado em um banco olhou para mim como se eu fosse seu pior inimigo, mas ela riu como uma jovem senhora e disse: 'Sim, mas não mostre a ninguém antes do novo século'. 
A entrevista é bastante curta - menos da metade da fita de 90 minutos. O próprio Anatoly ajudou a traduzir parte das respostas em búlgaro. Algumas questões autobiográficas poderiam ser omitidas, mas ele é um amador, por isso, apenas ofereceremos a versão importante aqui: 
AL:  ... Como você se tornou uma vidente? 
BV: Muitas vezes eu vi pessoas que morreram há muito tempo atrás, e elas me disseram o que iria acontecer com outras pessoas. Depois disso, veio um estranho bem alto. Ele me disse que a guerra (II GM) iria começar amanhã e que eu devia dizer às pessoas que elas morreriam ou sobreviveriam, e como elas poderiam escapar da morte. 
AL: Ele estava vivo? 
BV: Não, morto, assim como os outros. 
AL: Como ele se parece? 
BV: Uma grande sombra, como um reflexo. Todos são assim, e, às vezes, há apenas uma voz. 
AL: Como você fala com eles? 
BV: Eu sinto quando eles aparecem. Primeiro eu falo em voz alta, então continuo na minha mente e depois entro em transe e posso ouvir tudo. A voz parece que vem de um lugar distante, como no rádio; às vezes parece clara, às vezes não... 
AL: O que você sente quando pessoas comuns vêm até você? 
BV: Eu posso vê-los de longe, cada um deles, e sei de toda a sua vida, como se eu assistisse a um filme. Eles são bons, maus, diferentes... Todo mundo quer um milagre e chora depois. Mas quando as coisas são muito ruins, eu mantenho o silêncio, não digo nada. Eu só posso aconselhar. 
AL: O quê? 
BV: Que as pessoas não devem ser más, não devem se vingar ou ofender ninguém, devem fazer coisas boas. Elas devem ouvir seus corações. Devem ouvir sempre o coração, porque a cabeça faz mais erros. O coração está ligado ao cosmos. Mas nem todo mundo consegue distinguir entre a voz do coração e a voz da cabeça. 
AL: Essas pessoas mortas falam apenas sobre o futuro ou sobre o passado também? 
BV: Sobre tudo. 
AL: E se as coisas são para pessoas ou eventos em outros países? 
BV: Distâncias e línguas não importam, tudo passa através do cosmos. 
AL: Você pode dizer o que vai acontecer com a gente? 
BV: A Rússia vai ficar bem, mas a Bulgária e a Macedônia - não mesmo. As mulheres na Rússia vão dar à luz a muitas crianças boas, que vão mudar o mundo. Em seguida, vem um milagre, tempos milagrosos. A ciência vai definir o que é verdade nos livros antigos, e o que não é. Vai encontrar vida no cosmos e descobrir como ela (a vida) veio para a Terra. Uma enorme cidade vai ser desenterrada. Novas pessoas virão do céu, e muitos milagres vão acontecer. Mas você tem que esperar; você não deve apressar as coisas, isso vai acontecer em um futuro distante... 
AL: E o que vai acontecer em breve? 
BV: O fim da luz {a palavra 'svet' significa tanto 'mundo' quanto 'luz' em russo} vai acontecer em nove anos (2003), a Terra vai se afastar do Sol, de modo que o gelo aparecerá em locais previamente quentes, muitos animais vão morrer. As pessoas vão lutar por energia, mas seu espírito será forte o suficiente para parar de lutar. E então o tempo vai voltar {voltar ao passado / ir na direção oposta?}. 
AL: Eles dizem que o fim do mundo/luz é o Dilúvio... 
BV: O Dilúvio vai acontecer também, em cerca de trinta a quarenta anos (2024-2034). Um grande corpo vai voar para a Terra e atingir a água. As ondas vão lavar muitos países, e o Sol vai desaparecer por três anos. (Baba Vanga poderia estar falando do cometa Apophis, que passará extremamente perto da Terra em 2029 e 2036) 
AL: Mas será que as pessoas sobrevivem? 
BV: As pessoas boas vão sobreviver, enquanto que os maus, os que se consideram inteligentes, perecerão. Muitas pessoas vão morrer. E, em seguida, muito vida boa vai vir, a imortalidade virá. 
AL: A idade de ouro vai vir na Terra? 
BV: Ela já está chegando, mas nem todos podem vê-la. Em sete anos (2001), as pessoas vão parar de semear e colher, elas só vão plantar coisas. Animais se reproduzem como as plantas, enquanto as plantas se reproduzem como animais. Em 21 anos (2015) ninguém mais vai viajar no chão. Trens voarão sobre os fios do Sol (energia solar?), o petróleo vai ser proibido, o chão vai estar apenas gerando vida e providenciando descanso. Em quarenta anos (2034), doenças modernas vão desaparecer, mas outras aparecerão. Elas serão conectadas com o cérebro, porque todo mundo vai beber água do mar, e não haverá ilhas no mar. Em seguida, a água irá ser encontrada no cosmos, e esta água será boa. Haverá uma enorme população. A Índia será maior do que a China. Mas as pessoas vão começar a se livrar de seus corpos. 
AL: O que significa isso - livrar-se de seus corpos? 
BV: Pode-se viver sem um corpo, apenas uma personalidade, apenas energia, como os mortos. Mas este é um futuro distante. 
AL: Você pode prever algo sobre política para os próximos cinco anos (1995-2000) ? 
BV: A Rússia vai diminuir (o ego) e tomar o seu lugar novamente, haverá bondade no interior e experiência no exterior. A Europa não vai ficar mais jovem (a população atual da Europa contém 65% de pessoas com mais de 60 anos). A América vai aceitar o outro com uma barba (muçulmanos) e compreender que o medo é pior do que o amor. A Síria vai cair aos pés do vencedor, mas o vencedor na verdade será outro. Os alienígenas se recusarão a partilhar o seu conhecimento com ele. Os Países das Mulheres (?) vão recuar ante os dos homens, mas manterão suas agendas. Um homem pequeno (?) governará você por toda a vida... 
AL: Existe Deus no mundo / luz? 
BV: Deus não pode estar no mundo / luz, pois Deus é o mundo / luz. Não há Deus no ser humano, mas há um ser humano em Deus.
AL: Céu e inferno existem? 
BV: Céu e inferno são lados diferentes da vida fora do corpo. Se a pessoa morta é necessária para os que vivem - este é o céu. 
AL: Você vai ajudar os vivos após a sua morte? 

Baba Vanga não respondeu. Logo veio um clique na fita como se alguém tivesse desligado o gravador, embora Anatoly jure que ele não fez isso. Ele diz que Vanga se cansou e adormeceu..."